Poesias, assim como crianças são dádivas de Deus.

A alquimia da vida presentes em meus atos.

 

"Deus tudo perdoa, o homem pode até perdoar. Mas, a mãe Natureza, jamais perdoará o que fizermos."



Textos


Tantas falhas na família,

Vivi em fases, como uma ilha.

Me deixei naufragar na ilusão.

O tempo passou, e ainda vejo a garotinha de treze para quatorze anos,

Desenganos já sofridos,

O inseto do amor a picar o coração,

A dor do ciúme, do medo, de segredos inquietos.

Hoje não vejo mais romantismo.

O tempo, trouxe um realismo momentâneo.

E, apenas desafie uma vez meus pais,

E,te amei eternamente em minha imaginação.

A verdade, que a sinceridade nos separou.

Nos virou de cabeça para baixo.

Hoje, lembrei de você.

A saudade me fez reviver, que jamais te esqueci.

Foram três meses e meio,

O término por carta, numa tinta vermelha,numas folhas de papel...

A dor no peito, foi como a cólica que sangrava de meu canal vaginal.

O tempo passou.

Você se casou, tornou-se pai de Leandro e Tainá.

Eu demorei um pouco mais,

Encontrei alguém que me quis bem,

Que amou além da menininha frágil, que você namorou.

Também tive meus filhos,

E, mesmo adultos os coloco de baixo das asas.

Sinto falta daquelas tardes de sábados.

Das noites na SAEPE,

Das canções de Beatles, Bee Gees, Roberto...

Hoje meu acerto é com Daniel (Pudimzinho, como minha amiga o chama),

Roupa Nova, Fábio... e outros.

Mas, as lembranças atingem ainda a criança que no subconsciente está.

Queria um dia te encontrar,

Conversar, ver onde erramos.

Sei que numa festa de aniversário,

Na casa de tua sobrinha primogênita,

Eu fui para arrassar, 

Você me observou,

Sentiu algo mais não disfarçou.

Eu, porém senti que ti feri naquela noite....

Depois, não mais nos vimos.

E, hoje recordando, vivi esse amor novamente.

Mas, esse presente, tantos já perdemos,

Como você, a tua Mãe, Maria, que amava tanto e a respeitava também.

E, recentemente, eu, perdi a minha para o Covid 19, Saudades!....

As lágrimas ainda caem.

Mas,  um dia seu W.Roberto, nos encontraremos,

A vida ainda reviverá nossa história,

Agora, por coincidência escutando Roberto: Ciúmes de  você!

Coisas da vida.

Fatos do amor. Se cuida aonde quer e em qualquer lugar  onde for e esteja.

Hoje eu troco balas de canhão por botões de rosas!

 

Recordações

 

São Paulo, 04 de junho de 2022

 

 

Teka Castro
Enviado por Teka Castro em 04/06/2022
Alterado em 05/06/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
e mail: alegabema@gmail.com