Poesias, assim como crianças são dádivas de Deus.

A alquimia da vida presentes em meus atos.

 

"Deus tudo perdoa, o homem pode até perdoar. Mas, a mãe Natureza, jamais perdoará o que fizermos."



Textos


Tempo

Ouço vozes que se debruçam em minha angústia

A Vida se faz nos idos e vindos.

O trem trás novas conexões,

E, leva aquelas que nem ao menos dizeram adeus.

A tarde,

A Alma se embanha por busca de beleza,

Envaidecida,

Entristecida,

Se junta ao por do Sol,

Para derramar lágrimas.

E, nisso tudo os ponteiros do relógio passam.

E, eu aqui,

"À beira do Caminho",

Busco conversar com meus botões.

A solidão é uma arma,

Que transforma, reforma, nos faz sentir medo,

E, deixar descoberto apenas um segredo...

Então, páro e penso,

Numa busca Descartiana,

"Será que existo?"

Insisto nos olhos negros cheios de lágrimas,

E, na falta de melanina capilar.

Então, quero passar essa geração, que nada tem a me dizer.

Quero voltar e seguir o trem.

Ir, me encontrar com quem já partiu.

Levou parte de mim, 

E, eu não sei ficar orfã.

Então, lembro deixei sementes também,

Mas, são capazes de cuidarem de si.

Então, só me resta o adeus dizer,

Até a próxima vida.

 

Teka Castro

Homenagem in memoriam a minha Mãe, Deonilde de Jesus G Mendes,

Que amanhã faria 85 anos.

Saudades demais.

Teka Castro
Enviado por Teka Castro em 25/05/2022
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


 
Site do Escritor criado por Recanto das Letras
e mail: alegabema@gmail.com