Poesias, assim como crianças são dádivas de Deus.

A alquimia da vida presentes em meus atos.

"Deus tudo perdoa, o homem pode até perdoar. Mas, a mãe Natureza, jamais perdoará o que fizermos."

Textos


Quando assumo meus erros sei das consequências
Por experiências, a vida muito me agrediu
Repartiu meu eu em convicções que somente eu sei.
O coração sangra, sofre, aguarda...
Tempera.
Mas lá está ela.
A insegurança a bater a porta,
Não importa se já perdoei, ou pedi perdão.
O coração acelera,
A boca resseca,
Palpitação e a pressão altera.
O olhar nos olhos foge, e o fogo n'alma queima.
Então, me torno muito pequena.
Como criança a esconder algo.
Meu afago se vai.
Fôlego não tenho mais.
E, simplesmente caio no choro delinquente.
E, digo adeus.
Teka Castro
Enviado por Teka Castro em 08/07/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
e mail: alegabema@gmail.com