Poesias, assim como crianças são dádivas de Deus.

A alquimia da vida presentes em meus atos.

"Deus tudo perdoa, o homem pode até perdoar. Mas, a mãe Natureza, jamais perdoará o que fizermos."

Textos


Sim sou frágil, talvez melindrosa demais.
Envelheci na idade, mas a mente percorre uma adolescência,
Algo que não sei descrever.
Meu viver talvez não valha mais a pena.
Sou pequena e grandiosa ao mesmo tempo.
Sou sensível demais para compartilhar das asas desse tempo.
Queria voltar nos momentos sombrios.
Sentir o sorriso dos amigos que perdi.
Envelheci, e hoje a minha sombra está ela,
Pronta a me devorar a cada dia.
Sou sem dúvida uma aventureira das letras.
Mas, esquecida e sem brio,
Vou sentindo frio a cada dia.
E, num poema qualquer sou mais que sincera,
Coloco minha alma,
E, reflito nas enfermidades que a vida me dá.
Agora chega,
Um dia, sim um dia, vou mudar.
Seguir minha condição e deixar a vida me levar.
Ressucitar a alma, sei que é preciso.
Mas não tenho amigo verdadeiro que me dê a mão.
Então agarro-me as paredes desse buraco, 
Um dia eu salto.
Queria ser como o sapinho surdo,
E, não escutar a mais ninguém.
Apenas ir adiante sem medo de me ferir,
Agora, deixe-me aqui!!!

São Paulo, 15 de junho de 2017. 10:39h. 
Lição do Sapinho

 
Teka Castro
Enviado por Teka Castro em 15/06/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
e mail: alegabema@gmail.com